sexta-feira, 17 de julho de 2015

Resenha | As Crônicas de Magnus Bane - Cassandra Clare, Sarah Rees Brennan & Maureen Johnson

Há séculos, sua figura boêmia destila charme nas mais badaladas noites, de Nova York a Londres, atraindo olhares e encantando fadas, vampiros e, claro, Caçadores de Sombras. Durante sua longa existência de mais de trezentos anos, Magnus Bane acumulou histórias que vão além de corações partidos e desventuras amorosas.
Antes de lutar ao lado dos Caçadores de Sombras e de se apaixonar por Alec Lightwood, o feiticeiro conheceu ilustres personalidades e esteve nos mais marcantes acontecimentos da história mundial. Saiba como ele vivenciou a Revolução Francesa e quase impediu o final trágico de sua amiga intima Maria Antonieta; badalou em pleno movimento punk; assistiu literalmente de sua janela à crise que abalou os Estados Unidos em 1929; lutou contra os Nephilim para defender outros habitantes do Submundo e conheceu Valentin, o Caçador de Sombras mais temido de todos os tempos, quando este ainda era só um adolescente pretensioso e cruel.
Os contos, agora compilados nesta edição inédita, apresentam fatos, até então desconhecidos sobre o passado desse legendário feiticeiro até os dias de hoje - incluindo, é claro, seu desastroso primeiro encontro com Alec. Entenda como ele se tornou o famoso Magnus Bane e conheça detalhes fundamentais da história do Submundo.




- Não sei o que estou fazendo. Sabe, gosto da vida na cidade - observou Magnus. - As luzes brilhantes, as constantes companhias, a diversão líquida. A ausência de macacos que aparecem sem ser esperados.
Eu sinto que eu sempre acabo admitindo alguma coisa quando começo uma resenha. Hoje eu vou admitir que não terminei Instrumentos Mortais ainda, mas no Natal um membro da minha família finalmente entendeu o tipo de presente que eu gosto e me deu esse livro, então eu coloquei na frente do resto da saga - that’s how I roll - e vou falar que não fez muita diferença porque o livro é todo sobre o Magnus.

O livro começa em 1791 e percorre todo o caminho até logo depois de Cidade das Almas Perdidas, que é quando se passa o último conto. Como disse antes, mesmo sem ter terminado a saga principal, foi fácil entender As Crônicas porque raramente as histórias se entrelaçam.O que geralmente acontece é o Magnus dando uma indireta pra existência do Jace ou do Alec. Talvez esse “eles não interferem nessa história, mas saibam que são importantes” seja o motivo para ser tão bom de se ler.

O que talvez não vá agradar muitas pessoas - *cough* shippers *cough* - é que no livro aparecem os outros relacionamentos de Magnus e não é algo que possa ser ignorado, levando em consideração que em algumas histórias os relacionamentos são os pontos principais do enredo.

Como de costume, Cassandra arrasou em suas histórias e com sua escrita. Porém dessa vez temos mais duas autoras para agradecer. Sarah e Maureen fizeram um ótimo trabalho capturando a essência de Magnus - algo que nem todos conseguem fazer ao escrever um personagem já existente. 




Todas as crônica mereceram um cinco por terem sido escritas linda e perfeitamente e todos os enredos foram extremamente excitantes e só me deixaram com mais vontade ainda de terminar Instrumentos Mortais.











Nenhum comentário:

Postar um comentário