terça-feira, 13 de outubro de 2015

Primeiras Impressões | Grandfathered

Jimmy (John Stamos) é um cara que tem tudo o que queria na vida: um restaurante de sucesso, mulheres adoráveis ao seu redor e nada que o segure para trás. Mas tudo isso está prestes a mudar: Jimmy descobre de uma hora para outra que tem um filho, interpretado por Josh Peck, e ainda mais... uma neta. Sua grande e espetacular vida de solteiro será comprometida definitivamente, quando ele precisa aprender a lidar com algo que sempre temeu: a família.

Imagino que a proposta da série fique bem clara para quem lê ou assiste o trailer. Todavia, caso você não tenha lido ou assistido, eis um breve resumo: solteirão de cinquenta anos descobre que não somente é pai, mas também avô. Pronto. Essa é a informação vital para quem resolver apertar o play no episódio piloto de Grandfathered, a nova série da FOX. 

Protagonizada por John Stamos (Full House) ao lado de Josh Peck (Drake & Josh), a série tem como objetivo mostrar como a vida de Jimmy Martino vai mudar a partir desse encontro com filho, neta e ex namorada. E, apesar de cair em algumas situações previsíveis, Grandfathered consegue agradar e cativar com atores talentosos e momentos tocantes. 


É preciso ter em mente, ao se dispor a assistir uma nova série de comédia, que, atualmente, uma porcentagem bem grande piadas já foram usadas e abusas. É compreensível que vejamos algo repetitivo na tela. Entretanto, é a forma como essa piada será contada que fará toda a diferença. E Grandfathered consegue fazer bom uso de velhos clichês sem deixar seu espectador entediado.

John Stamos e Josh Peck são atores talentosos que sabem fazer bom uso de sua veia cômica na medida certa. Ambos fazem ótimo trabalho com seus personagens e usam a seu favor os estereótipos criados ao redor da trama. Assim como Paget Brewster, que surpreende após anos interpretando uma detetive em Criminal Minds, cujo humor não era muito explorado devido ao gênero da série. 


Porém, Christina Milian (Amor de Aluguel) deixa a desejar ao dar vida Vanessa, uma jovem preocupada demais em manter sua imagem em mídias sociais e usar jargões considerados modernos. Esse tipo de personagem, feminino na maioria dos casos, já se tornou um padrão em novas produções. Isso acaba incomodando não por ser repetitivo, mas sim por se afastar da realidade de forma bastante absurda. 

Salvo esse deslize na construção do elenco e o fato de que o episódio piloto pareceu mais crível que o seguinte, Grandfathered tem tudo para se tornar uma das novas queridinhas da fall season. Para que isso aconteça, é preciso que os roteiristas caminhem para algo que fuja da previsibilidade ao longo dos treze episódios dessa primeira temporada. Feito isso, o sucesso será garantido. 


8 comentários:

  1. Olha é a Paget ali?
    Meu Deus que série boa dá o Emmy pra ela hahahahahaha.
    Eu passei o olho por esse filme e eu... Ops, nessa série hahaha, e eu fiquei muito muito feliz de vê-la trabalhando em algo diferente apesar de amar essa mulher em Criminal Minds e CM ser minha série favorita, ela merecia a expansão.
    Eu realmente amei a proposta da série, que fala de familia/família extensa. Que mostra um modelo de família diferente da tradicional sem dizer que os gays são a única outra forma de família.
    PARABÉNS PELO POST

    ResponderExcluir
  2. Oii,

    A série parece ser bacana.
    Mas confesso que não chamou muito a minha atenção.
    Mas darei uma chance para ela...hahaha

    beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Fernanda!
    Adorei as suas primeiras impressões da série. Você conseguiu abordar diversos pontos sem fazer eu me perder (e eu me perco muito rápido nos textos, principalmente se eu não conheço a coisa de que tão falando). Apesar de tudo isso, eu não assistiria a série. Não gosto de séries de comédia pelo fato de tudo ser meio batido, como você disse e mesmo que caminhem para algo diferente ou usem o mais do mesmo de forma nova, essa série não iria me agradar T_____T
    Beijos

    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bom? Olha, a única série de comédia que consegui acompanhar foi Two and Half man até a saída de Charlie Sheen, eu confesso que sou meio chatinha pra rir e tal. Mas pelo que vi em sua resenha, a série parece ser legal. Vou dar uma chance pra ela já que tenho uma quedinha por solteirões de 50 kkkkk

    http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Essa série parece ser bem divertida, adorei esse fato de ele descobrir ter um filho e uma neta, imagino o baile que essa criança vai dar nele rsrsrs
    Vou adc a minha lista de séries, pra quando as que eu assisto entrarem em hiatus

    www.gordinhaassumida.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olha pelo que você falou a série parece bastante divertida.
    Mas eu não sou muito fan de assistir séries, porque eu nunca consigo terminar aqueles que começo a ver sabe? Mas mesmo assim gostei desse e acho que meus pais e meu irmão iriam gostar bastante, porque eles sim tem mania de ver. E gostam de novidades!

    Eu sinceramente não sei se veria só por conta disso. De não conseguir terminar.
    Mas a estória em si me parece ser bem legal.


    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/10/especial-conhecendo-os-autores-5.html?m=1

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Estou por fora de séries, a última que tentei ver foi Scream Queens e eu odiei, muito sem graça.
    Enfim, essa parece ser diferente e divertida, estou imaginando esse solteirão cuidando da neta. Espero ver algum dia!

    Beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
  8. Oie, tudo bom?
    Gosto dessas séries com uma pegada mais divertida, mesmo que eu não tenha nenhum tempo para nada. Eu assisto muitas séries e preciso ficar intercalando, mas não conhecia essa série ainda.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir