Top Social

Resenha | O Príncipe dos Canalhas - Loretta Chase

quarta-feira, 18 de novembro de 2015
Um romance épico, “O Príncipe dos Canalhas” pode ser considerado uma versão do aclamado conto “A Bela e a Fera”, que conta a história de Sebastian Ballister, o grande e perigoso Marquês de Dain, conhecido como Lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Nascera diferente das crianças da época e fora desprezado por sua aparência asquerosa. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent...
Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência di arrogante lorde Belzebu.
Liberal para sua época, Jéssica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho.
Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos. 

Embora tenha jurado solenemente não fazer nada de bom, acabei por ler “O Príncipe dos Canalhas”. Loretta Chase acertou em cheio ao escrever o romance épico, que são aqueles de época e beeem novela das seis.

Mas diferentemente do que se espera desse tipo de romance, o Príncipe dos Canalhas consegue envolver pela relação “gato e rato” do Marquês de Dain e Jessica Trent, que não se abala nem um pouco pelo autoritarismo e prepotência do lorde Belzebu. Ambos possuem personalidades fortes que rendem cenas muito divertidas, tensas e é claro, românticas. Muito bem construídos, eles protagonizam momentos que levam realmente a surpreender o leitor como: as ações loucas de Dain e as reações inesperadas de Jessica que o deixa praticamente de joelhos.

Além dos inteligentes diálogos e cenas picantes e apaixonantes entre os dois, o livro também retrata a superação e a auto-aceitação acima de tudo, mostrando até para os mais céticos que o amor é capaz sim de amolecer o mais duro coração e mudar o próprio diabo em pessoa.

A trama também conta com outros personagens que não são tão interessantes mas que contribuem significativamente com a história como Lady Pembury, a avó de Bertie e Jess, que de certa forma influenciou esta a ser mais liberal e não fazer a típica mocinha indefesa que espera por um pretendente rico que a sustente, e embora Jessica possua beleza suficiente para tal, ela se mostra uma mulher forte e independente. Sua personalidade rebelde, destemida, sarcástica e acima de tudo femme fatale vai de encontro às atitudes depravadas e inconsequentes do Marquês, que acredita que todo seu poder e má reputação são capazes de abalar a decidida Jéssica.

Também é interessante ver a evolução do protagonista Sebastian – o Lorde Dain – que é apresentado inicialmente como um monstro e ser abominável tanto por dentro quanto por fora, mas que gradativamente se vê mais tolerante, paciente e principalmente um alguém que deixa de lado a devassidão com mulheres promíscuas, dando lugar a sentimentos intensos e pecaminosos – porém sinceros – despertados por Jess. Enfim, ele abandona a fera para dar lugar ao homem.

Se eu disser que li esse livro, é mentira, pois na verdade eu o devorei em menos de uma semana. Os momentos entediantes se resumem a um parágrafo. E eu só fazia pausas para tomar fôlego e encarar os próximos momentos. Loretta atingiu o gênero com clamor na escrita da obra. Essa é a escolha perfeita para quem gosta de romances épicos, e para quem não gosta... também é! Li o romance emprestado de uma amiga, mas com certeza “O Príncipe dos Canalhas” estará em minha prateleira.



Escolhi 5 estrelas porque alem de conduzir uma leitura super tranquila e que flui facilmente, a história, ainda que pareça previsível, surpreende e agarra o leitor de uma maneira divertida e apaixonante.



Post Comment
Postar um comentário