Top Social

Resenha | Star Wars: O Último Comando - Timothy Zahn

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016
Depois de Herdeiro do Império e Ascensão da Força Sombria, chega ao fim a legendária trilogia com o grão-almirante Thrawn, no auge de seu poder. Após resgatar a tecnologia de clonagem de soldados do derrotado Império, Thrawn se prepara para o ataque definitivo à Nova República. Nesse cenário, Han Solo e Chewbacca seguem com os últimos esforços para montar uma parceria com antigos traficantes; Leia, prestes a dar à luz seus filhos gêmeos, tenta manter a Aliança unida e Luke lidera uma importante missão para acabar com as forças remanescentes do Império. O grandioso final da trilogia que fez história no Universo Expandido de STAR WARS traz alianças inusitadas, muita ação e grandes revelações, na aventura final para salvar a galáxia muito, muito distante.


E chegamos ao fim da Trilogia de Thrawn. Terminei mais rápido do que gostaria, mas não conseguia enrolar mais. Depois de assistir dezenas de vezes os seis filmes de Star Wars, ler as obras de Zahn foi uma boa maneira de esperar pelo sétimo filme.

No último volume, tudo se encaixa e todas as respostas finalmente são dadas das mais absurdas e criativas formas. É Star Wars afinal, não é? Como sempre, nossos protagonistas estão muito bem, obrigada, isso nem pode mais ser considerado spoiler. Por um instante parece que tudo será perdido e que a Nova Republica vai voltar aos seus dias de rebelião clandestina, principalmente depois que o grande plano de Thrawn, tão secreto, se mostra bastante eficaz; mas acontecem umas coisas bem doidas para virar o jogo, então podemos respirar aliviados.

O confronto com C'baoth é no mínimo tenso, principalmente quando uma participante inesperada resolve a batalha (tanto a física quanto sua própria luta interna), enquanto temos Han Solo e Chewbacca lidando com outras situações com ideias no mínimo inusitadas não muito longe deste cenário. Muitas outras coisas incríveis acontecem, mas tenho receio de me empolgar e acabar contando pontos importantes, portanto leiam vocês mesmos com a certeza de uma boa aventura à frente.



Dou nota cinco desta vez, porque muitas coisas inesperadas aconteceram no último volume da trilogia, e isso é o que procuro em um bom livro. A forma como Zahn lidou com a grande ameaça foi um dos pontos que mais gostei, apesar da leve previsibilidade (acreditem se quiser). Toda a trilogia foi bem escrita e desenvolvida, não me deparei com nenhum "ponto morto" na narrativa e me diverti bastante ao longo dos três livros. Leria de novo e com certeza recomendo para todos que quiserem iniciar essa viagem incrível no universo expandido de uma galáxia muito, muito distante.


Post Comment
Postar um comentário