Top Social

Quadrinhos de Fevereiro/2016

sexta-feira, 4 de março de 2016

Fevereiro é um mês complicado, não é mesmo ? Com a proximidade do Oscar, uma das premiações que mais me chama atenção e que, de certa forma, me deixa um pouco pilhada, foi difícil encontrar tempo para assistir filmes, colocar séries em dia, ler e depois escrever resenhas. E isso fica refletido no número de HQs lidas ao longo desse mês. Mas não temam, amigos! As resenhas ficaram um pouco maiores (o que é bom, né?), de forma que uma breve sinopse foi adicionada antes dos meus comentários a respeito de cada uma das leituras. Espero que gostem <3 


Vampiro Americano - Volume 4

Em seu volume anterior, Vampiro Americano apresentou duas histórias em cronologias diferentes, seguindo personagens distintos, mas que possuem papel importante para a trama principal e que, de certa forma, têm ligação. Nesse encadernado de 208 páginas, Snyder e Albuquerque seguem a mesma fórmula. Porém, dessa vez, com a colaboração de Jordi Bernet, não acompanha personagens tão significativos (até o momento), inclusive introduzindo novos protagonistas. Com três arcos distintos, o quarto volume de Vampiro Americano, vai desde a inesperada origem de Skinner Sweet até a aparição de uma antiga espécie vampírica ainda não conhecida. 

Dentre as histórias colocadas na HQ, a que mais conquista o leitor é a terceira, com uma eletrizante perseguição de carro em meio a revelações sobre um dos novos personagens e o funcionamento da Vassalos da Estrela da Manhã. Além disso, descobrimos que o pacato subúrbio americano esconde mais segredos do que parece. Revelações, reviravoltas e desfechos inesperados mais uma vez compõem com destreza a obra de Snyder e Albuquerque. [4 ESTRELAS]


Orange - Volume 4 

Ninguém imaginaria que a história de Takamiya Naho, uma adolescente que recebe uma carta escrita por ela mesma dez anos no futuro, seria tão cativante e manteria o leitor emocionado desde sua publicação inicial, que agora aproxima-se do volume final. Com a missão de salvar a vida de Kakeru, o novo estudante que torna-se seu amigo e também interesse amoroso, a protagonista vem traçando sua trajetória desde o momento que lê a primeira frase da mistériosa carta que recebe. 

Indo contra todas as apostas, Orange me conquistou, ganhando lugar especial na estante e também na lista de mangás favoritos. São tantos elementos, um pouco clichês, transformados nessa história encantadora que é impossível escolher algo como foco principal; desde a inocência de Naho na descoberta de seu primeiro amor, passando pela ótima interação desse grupo de cinco amigos (agora seis) até os vislumbres de suas vidas no futuro. É difícil falar sem nenhum spoiler, então prefiro finalizar dizendo que esse volume mostrou que algumas escolhas são mais difíceis que outras e que algumas vezes precisamos fazer sacrifícios em prol da felicidade daqueles que amamos, ou seja, não estou preparada para ler o desfecho dessa história em meados de Março. [5 ESTRELAS]


Tokyo Ghoul - Volume 4 

Ken Kaneki é um jovem universitário recém transformado num Ghoul, uma criatura de aparência humana que se alimenta dos mesmos. O que difere Kaneki dos demais é sua relutância em consumir carne humana, uma vez que ele mesmo é um híbrido entre as duas espécies, pois sua parte Ghoul surgiu de forma incomum, quando os órgãos de Rize Kamishiro foram transplantados em seu corpo após um acidente, minutos após a própria Rize tentar matá-lo. 

E com essa breve sinopse iniciamos os comentários acerca do quarto volume da série de quatorze mangás escrita por Sui Ishida. É preciso relembrar que o volume anterior não dos mais animadores, apesar de não faltar qualidade naquelas páginas. Não, não. A questão é: assistir o anime pode influenciar na experiência de leitura. E foi exatamente o que aconteceu. Todavia, com esse lançamento, as coisas mudaram e a cada virada de página a trama melhorava. 

O acontecimento principal, o encontro de Kaneki com o Ghoul Gourmet, é narrado de forma excelente, fazendo com que seja impossível deixar o mangá de lado. Sem cortes ou censura, Tokyo Ghoul explora o lado mais animalesco e sanguinário dessa intrigante espécie criada por Ishida, mostrando que também há um "sistema de castas" em meio ao caos do 20º Distrito. Além disso, novos personagens são introduzidos na trama, com algumas informações preciosas para Kaneki; informações necessárias num futuro mais próximo do que ele poderia esperar.  [5 ESTRELAS]


BONUS ROUND: Nesse final de semana irá sair a resenha de "Azul é a cor mais quente", HQ que também foi lida em Fevereiro. 

- Por que a resenha não tá logo aqui, Fernanda ? 

- Porque ela faz parte do Desafio Literário 2016. Aquele da Sociedade das Blogueiras Literárias. Sabe qual é ? Então. Ao meu ver ficaria melhor fazer uma postagem separada, onde informações do Desafio de Fevereiro e a resenha propriamente dita se unem, criando assim um espaço exclusivo para ambos.



Post Comment
Postar um comentário