Top Social

Quadrinhos de Março/2016

terça-feira, 5 de abril de 2016

Março foi um mês interessante. Um mês no qual me dediquei muito mais aos livros do que aos quadrinhos, uma vez que diversos títulos que me interessaram se mostraram proveitosos. Além disso, não havia tanta coisa na banca que chamasse minha atenção até que, finalmente, nos últimos dias do mês, algumas publicações apareceram e conseguiram salvar essa coluna. Infelizmente, um dos volumes teve que ficar para Abril. Mas espero que gostem da combinação de hoje: leituras atrasadas, porém finalizadas.


Demolidor - Vol. 2 

Após encontrar um início mais que agradável no primeiro volume, assinado por Frank Miller e Klaus Janson, que narra a história do vigilante conhecido como Demônio de Hell's Kitchen, retomamos a história com sua continuação, que dessa vez trás novas tramas e lutas em suas 336 páginas formadas por publicações mensais e material especial. 

Vemos o Demolidor travar batalhas com um inimigo já conhecido, o Rei do Crime, ao mesmo tempo em que precisa lidar com Elektra, personagem com quem mantém uma relação conflituosa de amor e ódio. Em meio ao enredo principal, também somos presenteados com um desfecho para Vanessa, que parecia ter seu futuro perdido com o final da primeira publicação. Confesso que num primeiro momento não me empolguei com a leitura, mas após a participação mais ativa de Elektra Nachios, cuja origem já havia sido estabelecida, foi possível tirar maior proveito da narrativa que combina ótimos elementos sem deixar a desejar. [4 ESTRELAS]



São Jorge - A Última Batalha 

A duologia de Danilo Beyruth, quadrinista brasileiro, apresenta seu desfecho seguindo a cronologia de seu primeiro volume, onde vemos o embate inicial entre Jorge e o famoso dragão. Após sua breve e fracassada tentativa de derrotar a criatura que ameaçava a população local, o tribulo traça uma estratégia de combate e nós, leitores, somos agraciados com cenas de luta intensamente detalhadas. 

Com o retorno ao Império Romano, Jorge se vê uma missão tão difícil quanto matar um dragão: reafirmar sua fé, agora que aqueles que não seguem as crenças e costumes romanos automaticamente são tidos como inimigos do Império. E é então que vemos Jorge como o bravo guerreiro que é. Logo, torcemos para que não pereça e caia em tentação. Sendo um personagem forte e carismático, Jorge prende a atenção do leitor através das páginas - isso somado ao traço delicado e detalhista de Beyruth. 

Um final que certamente não era esperado (da forma como ocorre), porém capaz de levantar questionamentos sobre fé, política e humanidade. [5 ESTRELAS]


Orange - Volume 5 

Outra que também chega ao fim é a história de Takamiya Naho, uma adolescente que recebe uma carta escrita por ela mesma dez anos no futuro, com o objetivo de salvar a vida de seu amigo Kakeru, ou melhor, impedi-lo de cometer suicídio. Com uma abordagem simples, sutil e capaz de atingir o leitor por sua sensibilidade, Ichigo Takano conseguiu, ao longo de cinco volumes, impactar com uma trama que aos olhos de muitos poderia ser considerada clichê, mas que na verdade vai bem além da caixinha. 

É engraçado pensar que um mangá shoujo (aquele "de menininha") pode ser muito mais do que aquilo que a maioria espera. Mais do que eu esperava. Claro, Naho pode ser infantil e as vezes agir como uma protagonista bobinha, mas suas intenções são louváveis, assim como tudo que ela e seus amigos fazem para manter Kakero em segurança. Ri, chorei e iniciei um debate mental sobre a importância dessa temática na literatura, seja ela qual for, pois é imprescindível que casos de depressão, que costumam levar ao suicídio, sejam levados a sério. Então parabéns para Ichigo Takano, por construir uma história que emocionou diversas pessoas, quebrou padrões e abriu os olhos para uma questão alarmante. [4,5 ESTRELAS]


Post Comment
Postar um comentário