quarta-feira, 6 de abril de 2016

Resenha | Garota Exemplar - Gillian Flynn

Uma das mais aclamadas escritoras de suspense da atualidade, Gillian Flynn apresenta um relato perturbador sobre um casamento em crise. "Garota Exemplar" alia humor perspicaz a uma narrativa eletrizante. O resultado é uma atmosfera de dúvidas que faz o leitor mudar de opinião a cada capítulo. Na manhã de seu quinto aniversário de casamento, Amy, a linda e inteligente esposa de Nick Dunne, desaparece de sua casa às margens do Rio Mississippi. Aparentemente trata-se de um crime violento, e passagens do diário de Amy revelam uma garota perfeccionista que seria capaz de levar qualquer um ao limite. Pressionado pela polícia e pela opinião pública e também pelos ferozmente amorosos pais de Amy , Nick desfia uma série interminável de mentiras, meias verdades e comportamentos inapropriados. Sim, ele parece estranhamente evasivo, e sem dúvida amargo, mas seria um assassino? Com sua irmã gêmea Margo a seu lado, Nick afirma inocência. O problema é: se não foi Nick, onde está Amy? E por que todas as pistas apontam para ele?

Com certeza Garota Exemplar já é um dos meus queridinhos, cheio de drama, suspense e com um final surpreendente. Somos apresentados ao casal aparentemente feliz, Amy e Nick, até que no aniversário de casamento, Amy Elliott Dunne simplesmente desaparece. Todas as pistas apontam para o marido que se mostra chocado com a possibilidade de ser acusado por matar e sumir com a própria esposa. A leitura se mostra ainda mais interessante pelo fato de conter os dois pontos de vista. O de Nick, que sugere uma Amy chata, perfeccionista, manipuladora e insuportável (pelo menos eu a via dessa maneira). E na visão de Amy (que se mostra uma mulher doce e apaixonada), detalhada em seu diário, Nick era o causador do péssimo casamento que tinham, falava sobre o medo que vinha sentido dele, e ela deixava claro todas as falhas de seu marido, o que os dá também uma péssima impressão sobre ele, que se alia a frieza do mesmo no decorrer das investigações.

Esse é o ponto mais envolvente do livro, pois não se sabe quem fala a verdade, e se realmente foi Nick Dunne o responsável pelo desaparecimento. Mas a cada página essa confusão se torna mais intensa e misteriosa, despertando assim a curiosidade do leitor para o desfecho da história.

O livro se diferencia por mostrar os humanos como realmente são, com todas as qualidades e defeitos, não existem mocinhos ou vilões e sim pessoas apaixonadas, vingativas, curiosas e até completamente loucas. Foge também dos finais felizes que rodam o casamento e mostra que mesmo que este dure por anos, ele desmorona aos poucos sem não houver dedicação.

Essa era minha décima primeira mentira. A Amy de hoje era agressiva o suficiente para você às vezes querer machucá-la. [...] Minha esposa não era mais minha esposa, mas um nó de arame farpado me intimando a desfazê-lo, e eu não estava à altura do trabalho, com meus dedos grossos, insensíveis e nervosos.

O livro também faz uma forte crítica aos recursos midiáticos ao sugerir que a mídia televisiva na ficção, manipula as noticias a seu favor, acusando Nick pelo desaparecimento de uma das mulheres mais queridas da literatura na cidade. Amy era conhecida por "protagonizar" uma série literária chamada "Amazing Amy", escrita por seus pais e que teve início em sua infância - a série foi responsável pelo enriquecimento dos mesmos, além de tornar Amy uma pessoa querida e amada pelos leitores.

Logo na metade do livro já podemos saber o que realmente aconteceu e do que se trata a narrativa, e embora pareça que isso vai acabar com a emoção, a leitora consegue fazer o inverso. O livro fica ainda mais envolvente por sair do lado mais superficial dos personagens e se aprofundar em suas interessantíssimas personalidades, cada um com sua particularidade e inteligência. Esse é um dos muitos pontos positivos: a maneira genial como eles são construídos ao longo da narrativa

Os leitores podem esperar um desfecho surpreendente e bem original por parte da autora. Devo dizer que é um final honesto e ele está ali, jogado na cara do leitor. Embora ele não abra espaço para interpretações, os motivos e causas que levaram ao desfecho podem ser vários, cada leitor pode encarar de maneira diferente.

"Garota exemplar" ganhou uma adaptação para os cinemas que também vale muito a pena ser conferida. Por ser narrado em primeira pessoa, não fica muito distante do livro, pois a todo muito podemos saber o que personagem está pensado e o que desencadeou e provocou suas atitudes.


Nem preciso dizer que vou dar cinco estrelas com certeza, não é?! A obra é bastante original, com um final impactante, e se diferencia dos outros de mesmo gênero por apresentar situações tão comuns que levam a consequências surreais, tornado-se um livro que vai de pico a pico no quesito realidade e insanidade. Ele é dividido em três partes e juntamente com seu bom conteúdo, faz com que a leitura seja fluida. Enfim: Boa história, bons personagens, bom final, e uma loucura brilhante de Gillian Flynn.


Nenhum comentário:

Postar um comentário