Top Social

Review | Daredevil - 1ª e 2ª Temporada

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Matthew Michael Murdock (Charlie Cox) é um jovem atleta e excelente aluno. Ainda na adolescência, um acidente envolvendo um caminhão que carregava lixos tóxicos o deixou cego e fez com que desenvolvesse vários sentidos. Quando Matt decide vestir o uniforme e adotar o nome "Demolidor" (Daredevil, na versão original), leva uma vida dupla: é advogado durante o dia e à noite protege as ruas de Hell's Kitchen, seu bairro em Nova York.

Comecei a ver a série por influência de amigos e confesso que não estava muito animada pois, aos meus olhos, algumas produções da Marvel possuem um teor um tanto infantil e particularmente isso não me agrada. Como estava enganada por esperar o mesmo dessa série... 

O personagem principal em si carrega uma história voltada para um público mais juvenil, que se mostra um pouco mais madura inclusive na produção cinematográfica (onde o Demolidor é interpretado por Ben Affleck). Na série não seria diferente, porém os produtores ousam ainda mais que o filme ao tratar temas como a máfia, crime organizado, tráfico humano, tráfico de drogas, entre outros, além de conter violência explícita. 

A série também foge dos padrões no que diz respeito aos vilões: não são más pessoas simplesmente porque querem ou por vãos motivos. Cada um tem sua motivação e seus passados dramáticos, que os levaram à posição atual, o que confere mais "veracidade" e coerência à série. 

No geral, os personagens são interessantes e bem construídos ao longo dos acontecimentos, mas nenhum deles é muito extraordinário, com exceção de Matt Murdock, que além de ser o protagonista é um personagem bem interessante. É visível que o heroísmo está em seu sangue, e que ele é do tipo de pessoa determinada que literalmente daria a vida para fazer o que é certo. Também é intrigante vê-lo lidando com a vida dupla e se desdobrando para conciliar a proteção da cidade, tanto nas ruas quanto nos tribunais, fato que achei sensacional. 

Um ponto bem positivo para quem gosta do gênero são as cenas de luta, ordinariamente bem coreografadas e eletrizantes. Um fato que chama a atenção é que o herói não é daqueles que sempre saem por cima e vencem facilmente uma luta. Não, ele apanha e se machuca bastante, porém é um lutador melhor que os outros, o que passa a mensagem poética de que não importa o quanto você se machuque e seja ferido pelos outros, se você se levantar e não se render, é um herói. 


Também pude observar que algumas cenas, talvez a maioria, são bem escuras. Não sei se foi intencional ou apenas um recurso, mas imaginei que pudesse ser uma forma de retratar como Matt vê o mundo - já que ele não enxerga como as pessoas a sua volta.


Daredevil é muito bem amarrada, tem bastante ação, e consegue combinar isso com uma pitada de romance e comédia, embora ambos não sejam o foco. É o tipo de série que prende o telespectador e que, em certos pontos, o faz querer emendar um episódio atrás do outro até que o desfecho seja revelado. As cenas de luta são realmente boas de se assistir, por serem muito bem dirigidas, e a série também agrada àqueles que gostam das lutas nos tribunais. Todavia não recomendo para quem não curte cenas fortes de violência e crueldade, pois algumas cenas são recheadas, mas apesar disso vale muito a pena.



Post Comment
Postar um comentário