Top Social

Review | Vikings

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Ragnar Lothbrok (Travis Fimmel) é o maior guerreiro da sua era. Lider de seu bando, com seus irmãos e sua família, ele ascende ao poder e torna-se Rei da tribo dos vikings. Além de guerreiro implacável, Ragnar segue as tradições nórdicas e é devoto dos deuses. As lendas contam que ele descende diretamente de Odin, o deus da guerra.


Nas últimas semanas, apesar da correria em relação à faculdade, encontrei tempo para assistir Vikings (mesmo sentindo a respiração das tarefas e trabalhos acumulados na minha nuca). Comecei a assistir na época daquela matéria a respeito da primeira-dama, devido a um meme visto na internet com a foto de uma personagem da série com a legenda “bela, recatada e do lar”. Creio que saibam do que estou falando. Achei então que valia a pena checar, principalmente por querer ver com meus próprios olhos se a personagem era assim tão interessante quanto o meme sugeria. A próxima coisa que me lembro sou eu depois de um dia e uma noite assistindo um episódio atrás do outro, me perguntando por que diabos demorei tanto para começar a série.

A série se baseia nas histórias e lendas a respeito de Ragnar Lothbrok, grande rei e herói da história Viking, com suas aventuras descritas em diversas sagas. Sou suspeita para falar sobre esse tipo de coisa, pois sempre me interessei por histórias de grandes aventuras, cheias de fortes guerreiros, reviravoltas e misticismo. A pagã em mim vibra pela representação dos costumes nórdicos e sua religião – ainda que sejam aspectos bastante enfeitados, creio que uma representatividade aproximada é melhor do que nenhuma.

Tudo é incrível: desenvolvimento da história, crescimento dos personagens, representação de personagens femininos fortes (Lagertha *-*), apresentação aos costumes e religião, lutas. Palavras não descrevem o que sinto por essa série. O único ponto que me entristece é saber como essa história acaba. Dói em minha alma ver o contraste lindo que a série faz com os costumes pagãos em relação aos cristãos, e saber que no final uma religião e cultura tão ricas serão assassinadas sem piedade, assim como tantas outras. Apesar disso, me alegro por ver algo que sempre admirei ser mostrado dessa maneira, em uma série tão bem-feita e envolvente (e com o contrato renovado para mais duas temporadas!).

Ter a cultura nórdica representada de maneira tão bela e forte certamente agrada aos deuses. Assistir à série me faz desejar ser uma shield maiden, e tenho certeza que a maioria daqueles que assistem sentem a mesma agitação dentro do peito.



Dou cinco estrelas por um motivo: não posso dar mais. Há muito tempo uma série não prendia minha atenção desta maneira, deixando-me ávida pelo próximo episódio. Para mim, é muito emocionante assistir a série pelo interesse que tenho por culturas e religiões pagãs. Confesso que às vezes me emociono um pouco com a série, e isso é o que procuro quando assisto qualquer coisa, que aquilo que estou vendo me faça sentir algo.

Dou um ponto extra para a trilha sonora: forte e tribal, desperta um estranho desejo de viver na floresta, caçar e guerrear no verão.


Um comentário on "Review | Vikings"
  1. Crítica muito boa. Sempre tive dúvida em assisrie e agora fiquei com vontade.

    ResponderExcluir