Top Social

Como monetizar(-) com um filme questionável

quarta-feira, 27 de julho de 2016

“(...) esse filme não feito para ser um bom filme. Esse filme foi feito porque Caça Fantasmas existiu, assim fizeram um reboot com esse nome para atrair gente aos cinemas e fazer grana. Esse é o ponto inicial: ‘Nós temos essa propriedade, vamos fazer outro’, esse talvez tenha sido o ponto inicial o tempo todo” SCOTT, Jeremy; CinemaSins, SinCast

Antes de fazer o review desse filme é preciso analisar como a situação chegou a esse ponto de conflito, justiça social e opiniões truncadas. De como uma empresa usa uma ideia ruim, faz umas mudanças circunstanciais e consegue provar que não há má publicidade além de se juntar a uma das bases mais barulhentas da internet.

Depois de anos de cancelamentos, confirmações e complicações, havia a chance real de um novo Caça Fantasmas e com Bill Murray finalmente aceitando participar. Então o filme mais recente de Harold Ramis, um dos roteiristas dos dois primeiros, e um dos Caça Fantasmas originais fracassa na bilheteria, causando incerteza na produtora, pra piorar ele morre meses depois. Todos consideram fim do sonho e da franquia numa forma tangível. A sonhada sequência é no máximo o ótimo jogo feito em 2009 que tem roteiro e vozes dos atores originais.

Mas a Sony não fica parada com uma franquia com esse potencial financeiro todo, fazem uma versão feminina. No começo parecia outro boato, como sempre há para um filme novo desde 1993, onde havia um roteiro pronto e Bill Murray não topou pra fazer Feitiço do Tempo (curiosamente dirigido por Ramis). Mais detalhes sobre duas décadas de imbróglio foram explicadas por James Rolfe. Volto a ele daqui a pouco.  A coisa se confirmou, o elenco foi revelado e algumas pessoas se mostraram céticas. Mas nada poderia prever a reação do público com o primeiro trailer.

O trailer foi terrível, não há como questionar isso. Foi surpreendente virar o vídeo mais rejeitado do Youtube, até porque foi uma reação genuína, nenhum envolvimento de 4chan ou outros suspeitos habituais. De fato, foram criadas umas contas pra curtir o vídeo, mas não deu vazão e é até uma anomalia se analisado. Eis a parte importante: a maior parte dos comentários eram negativos, mas criticando tecnicamente o filme, roteiro, o fato de não ter muita coisa engraçada e talvez ter gente mais engraçada, potencialmente era um filme pra naufragar. Mas havia também a mina de ouro: misóginos. Embora em minoria, suas palavras foram amplificadas, até porque a Sony deletava os comentários construtivos para deixar em destaque os que chocavam. Somente eles poderiam ter deletado tão certeiramente as críticas construtivas, nunca admitirão isso, mas o presidente da Sony adorou a repercussão negativa. Ah, essa é a mesma pessoa que quando trabalhava na Fox recusou Deadpool, que foi o filme de heróis mais lucrativo em muito tempo.

E assim difundiu-se a ideia de quem não gostou do trailer ou do conceito desse filme odeia mulheres. Uma cortina de fumaça quanto ao filme em si é criada. O exemplo chave é de como alguns cretinos reclamaram de como isso estragava a infância, gente que só atrasa as coisas. Ivan Reitman, diretor dos dois primeiros filmes e produtor desse terceiro descartou que tudo tivesse a ver com sexismo, que quem criticou em sua maioria eram fãs dos originais. Ainda assim falou que é impossível definir um filme por um minuto e meio de trailer (há controvérsias), mas não gostou do trailer. Apesar de ser profundamente envolvido com o projeto e a franquia, o pessoal que acusa de sexismo discordou ou ignorou essa opinião. Mas um alvo maior surgiria.

James Rolfe, também conhecido como Angry Video Game Nerd, ou AVGN, um notório criador de conteúdo no Youtube, faz um vídeo explicando calmamente porque não verá ou avaliará em seu canal o filme. Foram explicações plausíveis e coerentes. Boa parte da internet e seus formadores de opinião, em especial os ditos progressistas foram para cima dele com tudo. Enquanto isso, muitas mulheres falaram o mesmo e não sofreram represálias. Então as coisas esfriaram por um tempo.


Isso aconteceu

Como só houveram textos na internet falando que se você não gosta do filme é misógino ou como o filme abalará o patriarcado? Houve um embargo das avaliações, medianas ou ruins. Normalmente isso é feito para controle de danos, evitar que surja algo que faça com que espante o público dos cinemas. Que grandes sucessos fizeram isso recentemente?

     Pixels (Adam Sandler, francamente)
     Batman vs Superman (o filme se pagou, mas foi fracasso de crítica e financeiramente)
     Warcraft (filme que foi salvo pelo mercado chinês)
     Quarteto Fantástico (exemplo que a frase ”até os haters das mudanças irão ver o filme” é mentira)

Ah, e gostaria de lembrar que eles ameaçaram Bill Murray de processo se não aparecesse nesse filme. Ele notoriamente não queria se envolver em um projeto desses. Assim não é surpresa ver vídeos dele morrendo por dentro enquanto defende o filme. Aqui e aqui. E é a empresa que inventou um crítico falso só pra dar reviews positivos, foi descoberta, processada e perdeu, logicamente.

Mas deu o retorno necessário, essa campanha deu certo? Financeiramente, não. Longe disso. Na semana de estreia, inúmeras salas vazias, para espanto de quem apoiou. O filme custou 144 milhões de dólares (mais 100 de gastos com publicidade e propaganda) e conseguiu 45 milhões na primeira semana, ficando em segundo lugar, atrás da segunda semana de Secret Life of Pets. A situação deve piorar, essa semana sai o novo Star Trek e o novo Era do Gelo. Enquanto isso, o diretor diz que o filme precisa fazer 500 milhões para justificar sua existência e uma continuação. Wah-wah. Ah, e não tem mercado chinês pra salvar, foi barrado por ocultismo.

O que ainda não foi aprendido ainda é que não adianta fazer todas as vontades desse grupo específico, pois é gente que fala muito e não consome, tende a prejuízo. Mas quando se questiona isso estranhamente há silêncio. Essas coisas são pouco ditas, então achei importante ressaltar tudo isso antes de avaliar esse filme e seus méritos. Os remakes e a preguiça com a qual estão sendo feitos são um problema sério. Nesse caso está sendo feito um carnaval, mas lembrai-vos que Vingador do Futuro e Robocop foram refeitos de forma memorável(ninguém gostou ou se importa).


Eu nem precisaria falar, mas é sempre bom ressaltar que os ataques que Leslie Jones sofreu essa semana são absurdos e imperdoáveis.


Post Comment
Postar um comentário