segunda-feira, 25 de julho de 2016

Resenha | Tudo e Todas as Coisas - Nicola Yoon

Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa - Nunca saí em toda minha vida. As únicas pessoas com quem convivo são minha mãe e minha enfermeira, Carla.
Estava acostumada com minha vida até o dia em que ele chegou. Pela janela, olho para o caminhão de mudanças, e então o vejo. Ele é alto, magro e veste preto da cabeça aos pés. Seus olhos são azuis como oceano.
Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar pelo Olly. E é quase certo que será um desastre.
Tudo e Todas as Coisas é o primeiro romance de Nicola Yoon e acompanha a vida - se é que pode ser chamada assim - de Madeline Whittier, uma menina de 18 anos que é alérgica ao mundo. Como todo romance conhecido pelo ser humano, sua vida muda ao conhecer o garoto que seria o amor de sua vida, Olly
A segunda Maddy sabe que essa meia-vida pálida não significa viver de fato.
O livro possui, como um todo, uma escrita fluente e fácil mesmo pra quem não é muito fã de romance. A história e os personagens - ou pelo menos a maioria, vou chegar nisso daqui a pouco - são bem estruturados. 

O tema é parcialmente novo. E por tema quero dizer a doença, não p romance. O romance é repleto de clichês o tempo todo. Encontrei vários clichês diferentes durante toda a leitura, em um nível que em certo ponto começa a perturbar a leitura. Pra quem gosta de clichês amorosos esse livro é perfeito. 

O que eu mais gostei no livro foi a representatividade. De fato, acredito que o único personagem branco é Olly e mesmo assim não tenho certeza - não lembro muito da descrição dele. Maddy e a mãe são afrodescendentes. Em um de seus relatórios médicos, Maddy é dada como multirracial. Carla, a enfermeira/melhor amiga, é latina. Zach, melhor amigo de Olly - e meu personagem preferido nessa história toda -,é negro e gay. 

Do lado de Olly o livro também lida com a questão da violência doméstica e, apesar de ser um tema que só é meio que pincelado durante a história, é sempre bom chamar atenção. 

La pro final do livro tem uma reviravolta não tão surpreendente - pelo menos pra mim que já suspeitava disso desde o começo - e o final também não é tão inesperado quando se sabe a reviravolta. 



Eu pessoalmente dei 3 estrelas, porque romance não é muito minha praia, mas ainda sim achei o livro bem legalzinho e li bem rápido considerando a tempo que levo pra me arrastar por esse gênero. Quem gosta estilo pode vir a dar uma nota maior e eu realmente recomendo pros fãs de história de amor doces o suficiente pra dar diabetes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário