quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Resenha | O Silmarillion - J.R.R. Tolkien

Silmarillion é uma coletânea de obras literárias escritas pelo autor J. R.R. Tolkien. Ele é composto por cinco histórias escritas separadamente e que foram juntadas a fim de que houvesse a criação do livro.

Alguns o chamam de "A Bíblia de Tolkien" por retratar toda a origem das histórias vistas em O Senhor dos Anéis, e O Hobbit. Lemos desde a criação de Eä (que seria o Mundo), dos Elfos, Anões, Homens e dragoes, até a criação dos famigerados e poderosos Anéis.





Depois de três anos enrolando, decidi por um ponto final em minha história com O Silmarillion. Eis a explicação: o livro não é do tipo que lemos para distrair, a caminho do trabalho ou despretensiosamente. A leitura exige certa atenção e pode se mostrar cansativa, mas não entediante.
  
A primeira e a segunda parte podem ser um tanto confusas devido à existência de muitos nomes, cujas pronúncias são complicadas, e muita descrição repleta de detalhes. É impossível ler e não fazer um link com a história da Criação. Illuvatar é um ser equivalente a Deus que cria através de canções e cria os Sagrados, esses também cantam as canções que dão origem a visões, que mais tarde se torna realidade. Tudo é muito bom e puro. A minuciosidade da descrição das criações de Illuvatar, e os vários nomes citados não necessariamente precisam ser decorados ou levados muito a sério, uma vez que o enredo do livro não foca em apenas uma história, mas em várias que contribuem para um melhor entendimento do desfecho.

Tudo se torna menos complicado na terceira parte, onde a história está um pouco mais consolidada, e começam as guerras pelas jóias criadas, as Silmarills, que tiveram origem nas Árvores de Luz; Telperion e Laurelin. A partir daí a leitura flui com um pouco mais de facilidade, pois se torna mais dinâmica e há a presença de empolgantes cenas de guerra.

Mais uma vez o livro faz referência a Bíblia ao falar sobre Melkor, apresentado na primeira parte, mas só depois mostrado com um vilão. Era para ser alguém bom, mas veio a se tornar o primeiro Senhor do Escuro. Há tanta escuridão em seu coração que percebemos que ele é ainda pior que Sauron, que é apresentado momentos mais tarde.

O livro é recomendado para os amantes de ficção e fantasia, e também é interessante para quem já leu O Hobbit e o Senhor dos Anéis, uma vez que a cada momento o leitor consegue fazer uma referência às obras anteriores.


Quem não conhece as outras obras não deve desanimar, pois embora o livro não siga uma história fixa em torno de um personagem, ele consegue apresentar o embate do bem contra o mal propriamente dito, de uma maneira fantástica e mágica, e acaba por abrir espaço para a leitura da famosa sequência de Tolkien.

Sou suspeita para classificar com 5 estrelas pois sou fã das obras de Tolkien, mas mesmo quem ainda não está familiarizado com o autor ao ler O Silmarillion, reconhece sua criatividade e sua mente brilhante. A leitura não é tão simples, mas isso não a torna menos interessante, uma vez que ela leva o leitor para dentro daquele universo criado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário