Top Social

GUIA DO CONSUMIDOR | A GRANDE BIBLIOTECA MÁGICA

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Já sabemos o quanto gosto de comprar bons livros a preços ridiculamente baratos, sempre estou percorrendo essas feiras de rua e as de shopping para conseguir achados. Além disso, no final do ano passado a Submarino me mandou um link com livros interessantes a 10 reais, então fiz o óbvio: comprei uns 10. Nessa edição abordaremos vários livros adquiridos com descontos absurdos. Alguns eu pretendo falar sobre com mais profundidade quando eu fizer postagens temáticas.

Vida Vadia - Richard Price
O primeiro romance policial que terminei. Bem contemporâneo. O melhor registro de como hipsters são estranhos, em especial lidando com a morte. Bons personagens, mistérios e ambientação, além de mostrar que no fim tudo o que vimos foi apenas mais um caso. E ainda assim divertido, espero ler mais coisas desse autor, não houve um personagem insuportável. A

Nelson Motta - Resenha Esportiva
Nesse registro de grande eventos esportivos por ele cobertos, a narração do ambiente é até mais importante do que o relato dos jogos. A rabugice dele com o mundo mudando a partir da Copa do Mundo de 86 torna o livro mais divertido. O capítulo sobre a Copa de 1982 deveria constar como a descrição do termo “oba-oba”. O livro infelizmente perde força no último terço, mas vale o preço promocional que paguei. Deve valer mais pra quem é nostálgico. B -

No Ar: PRK 30! - Paulo Perdigão
Um livro que namorei por anos e sempre esteve caro, muito porque vinha com dois CDs com trechos do lendário programa de rádio que inspirou boa parte do humor de Chico Anysio. Comprei na Americanas na bacia promocional, veio sem os CDs, mas ainda é um grande livro. As esquetes são fascinantes de ler e garantia de risos, mesmo sem escuta-las. É um registro histórico sobre o humor nacional no tempo onde o rádio era o maior veículo de comunicação e ainda assim um livro divertido. Vale procurar. A.

Histórias que os jornais não contam mais - Anélio Barreto
Uma ode gloriosa ao new journalism(ou jornalismo literário), que tem como seu patrono Gay Talese e tem como foco histórias de interesse geral bem apuradas e bem contadas. Reportagens grandiosas, seja tratando de morte ou estilos de vida. Quarenta por cento do livro se dedica a uma grande reportagem sobre um assassinato notório do fim dos anos 80, com todas as reviravoltas da investigação. A segunda parte tem como destaques um perfil de 40 páginas sobre os 80 anos de Frank Sinatra, o cotidiano da Daslu e o perfil da pessoa que assassinou Gianni Versace, morte essa que fez 20 anos ainda outro dia. No fim de cada reportagem, seu autor explica como a apuração foi feita e o que houve no futuro. Está em qualquer dessas feiras de rua que vendem livros. Os melhores 5 reais a serem gastos em um lugar desses. A+

Sexo na Casa Branca - Larry Flynt e David Eisenbach
Sexo vende. Sexo entre gente poderosa vende e muda o mundo. Para explicar esse fenômeno, o historiador Larry Eisenbach e o notório pornógrafo Larry Flynt se juntam. É sempre agradável ver o lado humano de pessoas responsáveis pelas vidas alheias e como grandes problemas da humanidade(ou grandes soluções) acontecem porque as pessoas eram muito complexadas com sexo ou gostavam demais de fazê-lo, independentemente com quem fosse. O livro transcende o conceito de fofoca sobre gente histórica quando se tem pessoas com essas credenciais, especialmente quando Flynt aborda seu papel importante contra a hipocrisia durante o período que Bill Clinton teve seu mandato ameaçado pela situação com Monica Lewinski. Um livro divertido que comprei na época de lançamento pelo seu preço integral e hoje vejo nessas feirinhas por 5 reais. Um crime. Comprei outro pra presentear alguém. A.

Meus prêmios - Thomas Bernhard
Estava a 10 reais no bacião de promoção do Submarino. Absolutamente divertido. O autor é um austríaco narrando os prêmios literários que ganhou e traçando momentos de sua vida baseado na época em que os recebeu. Ele basicamente desprezava os prêmios e só se importava com a grana envolvida, que o fez deixar de ser um caminhoneiro e se dedicar realmente à carreira literária. E depois sentir levemente falta dos caminhões quando lida com a crítica literária. Uma pérola de 110 páginas. Vale os 33 reais que normalmente é o preço do livro? Se você for fã do autor ou aspirante a escritor, talvez. Por isso a nota cai um pouco. B+

Tão insano quanto você - Todd Hasak-Lowy
Bacião de promoção da FNAC da Paulista meses atrás. O livro inteiro é contado em forma de listas. Um conceito interessante e que não fica cansativo. Não sei bem se pode ser chamado de coming of age. O protagonista é um adolescente insuportável, mas não no nível intolerável dos de Cidades de Papel ou de Perdão, Leonard Peacock. Cresce um pouco durante a história, mas o livro deixa uns gostos amargos durante o caminho, até o final que é supostamente feliz tem implicações que te deixam com um suspiro desanimador. Um dos conflitos internos que o protagonista lida é absolutamente ridículo, sendo que estamos em pleno 2017. O que salva o livro perto do fim é um certo personagem e seu gosto por música brasileira, o qual ele passa pro protagonista. Um livro americano de 2015 citando Toquinho, Vinícius e Milton Nascimento corretamente. Quem diria. B-

A Família Spellman - Lisa Lutz
Uma comédia de detetives divertida, embora ridícula em certos pontos e com uma adolescente que quase estraga tudo por puro capricho, tal qual quase todo adolescente faz. O conceito de família disfuncional é usado ao limite e pelo menos é questionado nesse livro. Os plot twists geralmente são quase ridículos a ponto de se questionar se vale a pena continuar, mas o grande mistério final é solucionado da forma mais elegante e inesperada possível. Não fosse por isso e os bons elementos de como funciona a agência de detetives, a nota teria caído. Vou querer ler mais coisas dessa moça, mas nunca dessa família de novo, a menos que a adolescente esteja sequestrada por 90% do livro. B.

@mor - Daniel Glattauer
Houve um livro nos anos 80 chamado Nunca te Vi, Sempre te Amei. Esse livro relatava mais de 20 anos de trocas de cartas entre uma americana e um inglês a partir do pós-guerra. Ela escrevia, ele respondia, haviam motivos comerciais no início, mas depois se tornou uma bela amizade. Até virou filme. Eles nunca se encontraram, pois ele morreu. Houve um segundo livro dela indo pra Londres, mas isso é outra história. No Brasil, Ângela Carneiro fez Caixa Postal 1989, um livro com dois adolescentes se conhecendo por carta e se apaixonando. Me espanta não ter pego esse livro de um certa biblioteca uma década atrás. Então houve a continuação, Eu Te Procuro, que se passava nos primórdios da internet nacional. A versão mais recente desse tipo livro é @mor, onde dois alemães se conhecem por engano quando a mulher manda um e-mail errado querendo cancelar uma assinatura de revista. Acabam se apaixonando, mas o romance é mais problemático que nos outros livros citados, sempre há algum empecilho ou problema, tudo se resolveria se eles se vissem logo e passassem um dia num quarto se aproveitando, mas assim não teríamos livro. Pelo menos não deixou um gosto muito amargo. Me sinto obrigado a ler a continuação, a qual acabo de descobrir a existência e comprar. Peguei num promoção da FNAC fim do ano passado, mas vale o preço completo. B.

Pagando por Sexo - Chester Brown
Uma HQ fascinante onde o autor relata sua última experiência monogâmica e como começou a conhecer garotas de programa, tendo na medida do possível relações significativas com as mesmas. Em meio a conhecer moças diferentes após cair na rotina, são relatados também debates com seus amigos se isso é moralmente correto. O debate se estende ao apêndice e aos anexos do livro, onde o autor dá esclarecimentos mais claros e direito de resposta aos amigos retratados no livro. As profissionais do sexo tem sua identidade preservada, obviamente. Um livro diferente e elucidante. Outro que paguei preço completo numa Bienal e vi anos depois por 5 reais na feira de Nova Iguaçu e talvez na da Cinelândia. Vale a leitura. B+.


Post Comment
Postar um comentário